18/05/2009

A roda de capoeira: um espaço sagrado.

Ultimamente,alguns praticantes de capoeira não têm dispensado o devido respeito ao espaço onde é praticada a capoeira:a roda. A preocupação com a disposição dos instrumentos é pura perda de tempo. A questão é se esses instrumentos estão preparados para cumprir as suas funções, o que depende de estarem bem afinados e bem tocados.A energia da roda de capoeira está diretamente relacionada à capacidade dos tocadores os quais têm função semelhante, nas devidas proporções, aos tocadores de candomblé (alabês) que, através do rítmo e da música, conseguem fazer contato com orixás,inquices ou voduns - a depender da nação -, e assim convidá-los para participarem da festa.
Na roda de capoeira também é possível essa relação dos tocadores com essa ancestralidade(espiritualidade) da capoeira, desde que esses tocadores estejam preparados para fazer essa comunicação. No caso específico da capoeira,inexiste a necessidade de iniciação, como acontece com os alabês, como alguns podem vir a acreditar, mas é indispensável o aprendizado anterior com um mestre de capoeira que tenha a condição de transmitir os segredos dessa comunicação.Para um entendimento da dinâmica energética da roda tentarei, metaforicamente, apresentar todo o seu desenvolvimento.
Imaginemos que os tocadores, de todos os instrumentos, sejam os "fósforos", e que o tocar os instrumentos e o início do canto (ladainha) simbolize o riscar desses fósforos. As "velas" que estão delimitando a roda começam a receber "energia térmica" e entram em combustão, o que é simbolizado ao responderem a ladainha e o corrido. Logicamente, as duas "velas" que estão mais próximas dos "fósforos" irão receber mais energia que as outras, o que resultará em derretimento e consequente amalgamento capaz de dificultar, para os desendentidos, o que realmente está acontecendo no centro da roda com aquelas duas velas em processo de "derretimento".
Os elementos simbólicos da roda de capoeira estão à disposição de qualquer um. O desafio é conseguir transformar esses elementos em energia, de forma a estimular o transe.

MESTRE MORAES (indicado para o Grammy 2004, categoria Traditional World Music, pela National Academy of Recording Arts& Sciences)

10 comentários:

  1. Mestre!

    Muito bom! Acredito que as pessoas que estão interessadas em aprender Capoeira Angola com responsabilidade, irão buscar um melhor entendimento sobre a importância da Roda, num sentido de ritual e não só representabilidade histórica. Entendo que a comunicação com a ancestralidade presente na Roda, depende da responsabilidade na relação que estabelecemos com a Capoeira Angola e com o elo que nos liga a essa ancestralidade.
    Abraço
    David

    ResponderExcluir
  2. Mestre, obrigado por responder minha pergunta! Agora consigo compreender melhor o que venha a ser o transe dentro da Roda de Capoeira. Hoje eu falaria assim:Corpo e alma movidos, no centro da roda, pela energia invisível que move os corações e se materializa através do cantar e do tocar. Mas, se à medida que esta "combustão" se expande os corpos se derretem, como evitar que a emoção não sobreponha a razão?

    ResponderExcluir
  3. Olá mestre, falando de religiosidade, o senhor tem ido no Bate Folha em Salvador?

    ResponderExcluir
  4. Saudação ao mestre e a todos ,
    vamos vadiar , separei estas partes iniciais do texto que me salta aos olhos :
    ...DISPOSIÇÃO dos instrumentos ...
    ...esses ISNTRUMENTOS estão PREPARADOS para cumprir as suas funções...
    ...estarem BEM AFINADOS e BEM TOCADOS...
    ...capacidade dos tocadores (TOCADORES CAPACITADOS )...
    Nosso investimento inicial ao meu ver deve ser dedicado a qualificação nestes pontos acima que são por assim disser PRINCIPIOS FUNDAMETAIS ou ELEMENTARIS na roda de capoeira , só poderemos avanças mais profundamente após estarmos bem resouvidos com estes pontos .Não consigo concordar com as velas frias acender o fogo dos fósforos como querem alguns que não valorizam os principios fundamentais e que denada sabem do passado , sem ação (sabia) no presente e sem compromisso com o futuro da arte manha , para termos os elementos fundamentais é nessesario um saber ( conheser ) de musicalidade ( intrumentos , toques , cantigas etc ) ai entra afinação e bons instrumentos e é ai onde o bicho pega mata e como feito o carcará porque muitos capoeiristas são mudos e surdos para este ponto fundamental !!!
    Outro dia em uma roda motivado por apreder mais perguntei ao mestre do local como ele afinava os berimbaus dai ele olhou para mim como uma vaca que vê uma porteira nova , por pouco não me perguntou se eu estava brincando sobre afinar um estrumento de uma corda só !!!
    Mestre gostei mais uma vez da escolha do tema .

    Clayton Ponte Boris ( Grupo Capoeira Atitude )
    Fortaleza - CE

    ResponderExcluir
  5. Duas velas nunca derretem da mesma maneira..

    Quando estamos em sintonia com o som e o canto, nunca jogaremos igual...sempre criando, sempre evoluindo.

    ResponderExcluir
  6. Essa colocação "sempre criando", prosposta pelo camarado, me levou a relacionar a criação no jogo, na roda da capoeira, à recriação da cultura africana na diáspora. O que é evolução na Capoeira? Até que ponto podemos criar?
    Será que, dentro de um grupo, as duas velas que se derretem, por mais que não se derretam da mesma forma, não precisam, no mínimo, tentar se derreter inspirando-se nas "velas de sete dias"?

    ResponderExcluir
  7. Atenção à diferença existente entre criação e criatividade! Utilizar os elementos simbólicos da Capoeira para dar um "enredo" ao jogo é uma coisa; criar é outra totalmente diferente. Já imaginou, Armando, se amanhã Mestre Moraes saísse pelo mundo afora ensinando o movimento do thuco?

    ResponderExcluir
  8. OLA MESTRE SOU ES GRADUADO MEU NOME É MICHEL GOSTO MUITO DO SEU TRABALHO ACHO MUITO INTERESSANTE COMO O senhor ensina seus alunos com sabedoria força,que Deus venha usa-lo muito mais shell.2000@yahoo.com shell.2000@hotmail.com fique com DEUS MEU AMIGO MESTRE

    ResponderExcluir
  9. ÓLA,mestre moraes.
    Meu nome é joão vitor,eu sou capoerista a quase 2 anos ,tenho a segunda corda de capoeira ,e faço parte do grupo ORIGEM DA BAHIA.Eu achei muito interressante do texto ,A RODA DE CAPOEIRA È UM ESPAÇO SAGRADO,porque a maioria dos praticantes da capoeira não estão tendo resposabilidade nenhuma quando está na hora de saber aprender e de ensinar a capoeira, eu por exemplo já tive 2 professores e apenas 1 desses professores teve responsabilidade.
    MESTRE ME DESCULPE POR NÂO TER FALADO O MEU APELIDO.meu apelido é (PASSOCA).
    BEM VOU FICANDO POR AQUI,UM ABRAÇO BEM FORTE PARA VOCÊ E PARA TODO O GRUPO.

    A CAPOEIRA VIVERÀ,EM QUANTO EU VIVER.EU JURO!!!!!.

    ResponderExcluir
  10. olá mestre meu nome é Wellida e comecei a praticar a capoeira faz uns 3 anos só, e gosto muito de buscar coisas novas essa colocação acima que o senhor fez me deixou muito curiosa, gostaria de saber se o senhor puder é claro de falar um pouco mais sobre essa energia que tem uma roda de capoeira moro no litoral de São Paulo na cidade de Bertioga e por aqui não consigo me aprofundar nas historias da capoeira pois os poucos mestres que tem por aqui só tem nome e o conhecimento de que preciso eles não tem a me oferecer fica a desejar obrigada pela atenção. Boa tarde!

    ResponderExcluir

Ao deixar um comentário escreva seu nome e seu e-mail. Ajude-nos a fortalecer nossa rede de contatos!