5 de abr de 2010

Mestre Pastinha, o "filósofo da capoeira"

Mestre Pastinha, caso estivesse vivo, hoje estaria completando 111 anos.Vários outros capoeiristas,seus contemporâneos,foram quase que apagados da história graças à singularidade como o Mestre Pastinha verbalizou a capoeira.Através dos seus manuscritos,nos deixou interpretados os elementos subjacentes da capoeira angola de maneira que esta arte, materializada pelos seus praticantes, não se permitisse ser limitada a uma atividade física sem nenhum sentido holístico.Mestre Pastinha quis para a capoeira muito mais do que a simples institucionalização do seu reconhecimento. Ele preconizou uma capoeira cujos praticantes a tivessem como "fé de ofício", além de não permitirem o seu fracasso,pois ("...se fracassar a capoeira! é o fracasso dos capoeiristas,mas(ela) não morreu, porque não morrerá, ela vive em todos os seres, quer humanos, quer espiritual").
Ele atrelou o progresso da capoeira ao progresso do capoeirista. Para o Mestre, a complexidade da capoeira angola dificulta-lhe uma definição:"Ela é tudo que a boca come"."ela é cheia de malícia,é artimanha,tem possibilidade para tudo que pensar de bom na vida". Na belíssima interpretação das palavras do mestre Pastinha,feita pelo Dr. Decânio,"os múltiplos aspectos da capoeira(angola) se manifestam consoante o contexto, como a água que toma a forma do vaso".
O Mestre Pastinha disse que "...a capoeira é espiritualizada no eu de cada qual".É,justamente, essa individualidade que dá ao capoeirista a condição de jogar na roda, quando jogamos com; e na vida, quando precisarmos jogar contra.Em suas palavras,"A capoeira produz efeitos muito mais amplos do que se pode imaginar...e o melhor capoeirista não é aquele que só sabe cantar, tocar e jogar...para ser bom, é preciso ser completo no fundamento".Na intenção de presentear-nos com a sua visão sócio politica da capoeira, o mestre afirmou que o capoeirista aprende para defender os seus direitos, e não para "praticar valentia contra a integridade pessoal" do outro.
Finalizando,nos encontramos diante de um grande desafio:dar continuidade às ideias do Mestre Pastinha mesmo diante da necessária dinâmica cultural por que passa a capoeira angola, além da sua mundialização desenfreada.

Mestre Moraes.

Para saber mais, ver "Manuscritos e desenhos de Mestre Patinha com o Estatuto do Centro Esportivo de Capoeira Angola".
Filho,Angelo A. Decanio. Edição preliminar e personalizada. 1996.

8 comentários:

  1. ieee que vai fazeer??
    ieee com a capoeeira??

    ...cabe a cada um que se diz angoleiro, despertar em si, o real propósito ao qual se dedicam a essa tradição, e ter sempre em mente a quem se deve este conhecimento que chega as nossas maõs nos conturbados dias de hoje..
    li uma vez q mestre pastinha ao ser criticado por outros mestres, pela "elitização" da capoeira e do novo formato de academia a qual o mesyre se propunha, mestre pastinha respondera:
    "a capoeira nasceu no gueto e morrerá no gueto caso não agirmos, o nome disso camarada; modernidade."
    ...
    acredito que hoje a "modernidade" é mais complexa que na decada de 40, mas a tradição e os fundamentos "ainda" são os mesmos, sejamos fieis e leais aos ensinamentos de nossos Mestres , camaradas.
    ("...se fracassar a capoeira! é o fracasso dos capoeiristas,mas(ela) não morreu, porque não morrerá, ela vive em todos os seres, quer humanos, quer espiritual").

    Ieee viva meu Mestre!

    ResponderExcluir
  2. PARABENS Mestre Moraes ! Por Suas Palavras.

    ResponderExcluir
  3. Mestre seriam 121 anos (1889-2010)... obrigado pelo texto

    abracos

    Fabio Melo

    ResponderExcluir
  4. Mestre!

    Nossa identidade com a história da Capoeira Angola, precisa muito de decodificações como estas sobre essa herança filosófica deixada pelo Mestre Pastinha.Assim nosso orgulho de sermos angoleiros se fortalece,juntamente com nossa fé em seus princípios.
    Obrigado!

    ResponderExcluir
  5. ...valeu pelo texto Mestre.
    é mais um lembrete do nosso dever árduo e constante para com a nossa amada arte.
    ser sincero com ela refletirá na nossa aprendizagem, no nosso crescimento e o desenvolvimento contínuo dela.
    precisamos nos achar primeiro para depois conseguir aportar significativamente ao nosso mundo, ao nosso grupo, a nossa sociedade...
    viva essa luta!

    Abraço

    Armando

    ResponderExcluir
  6. A inspiração de quem busca a capoeira Angola, de quem busca compreendê-la em sua magnitude de significados, de fundamentos, de luta e de poesia .. é Mestre Pastinha, viva Mestre Pastinha e a todos que vem trabalhando no sentido de valorizar e divulgar o pensamento desse herói Negro Brasileiro.
    Um abraço Mestre Moraes
    um dia tenho a honra de chegar pra aprender no seu casuá
    Mojubá
    Lê do Mucungê

    ResponderExcluir
  7. Mestre, numa das páginas finais dos Manuscritos de M.Pastinha, tem um convite solicitando que Mestre Pastinha e sua academia levasse a Capoeira para a cidade de São Paulo.O senhor tem mais informações sobre o que desencadeou este convite?
    Abraço.

    ResponderExcluir
  8. Correção: O senhor tem mais informações sobre sobre o que este convite desencadeou? Ou melhor, Mestre Pastinha chegou a atender o pedido?

    ResponderExcluir

Ao deixar um comentário escreva seu nome e seu e-mail. Ajude-nos a fortalecer nossa rede de contatos!