2 de jul de 2010

Estou de volta.

Informo aos amigos,capoeiristas ou não,que já estou de volta ao nosso bate-papo. Estive em Nova York com o mestre João Grande, o qual está muito bem: jogando capoeira, ensinando e tomando decisões que, apesar de todo o meu tempo de capoeira, ainda me surpreendem pela sapiência.
Lá, dei dois dias de aulas na escola do Mestre João Grande onde sempre tive o carinho e respeito dos alunos do mestre.Orgulho-me em ser um seguimento dessa árvore genealógica de cujo tronco fazem parte os mestres Benedito, Pastinha, João Pequeno, João Grande(meu mestre)e outros que deram continuidade à luta do mestre Pastinha.
Vamos retomar as nossas conversas.

Abraços,

Moraes.

22 comentários:

  1. Que bom q voltou Mestre...acompanho diariamente o seu blog. O Mestre João Grande estará na Bahia em Julho o senhor participará de algum evento com o mesmo nessa vinda dele ao Brasil?

    ResponderExcluir
  2. Caro Mestre Moraes, Saúde e Paz Sempre.

    Indago se o Senhor já teve a oportunidade de ver os filmes: O GRANDE DESAFIO com direção do ator americano Denzel Washington e como produtora a apresentadora Oprah Winfrey.
    Também MÃOS TELENTOSAS: Gifted Hands: The Ben Carson Story Direção: Thomas Carter.
    Seria possível seu comentário e talvez sugestões de obras nos mais variados campos, que estimulem a reflexão sobre histórias sempre possíveis.

    Atalhos para informações complementares:
    http://cinezencultural.com.br/site/index.php/2010/03/14/o-grande-desafio/

    http://www.mundodesbravador.com/2010/02/maos-talentosas-historia-de-ben-carson.html

    Diz o Mestre: " Se estiver disposto a rever seus valores, conte comigo".

    Walter Júnior Grupo Capoeira Atitude - CE

    ps. Temos vasto material crescente em nosso acervo. Peço permissão para outras consultas.

    ResponderExcluir
  3. Mestre,seria possível ligar essa relação ancestral além do mestre Benedito?Seria o início da recriação ou da nova modelação,a qual,se aproxima mais de nós?

    ResponderExcluir
  4. Mestre preciso de um toque de sabedoria.
    Na ladainha:ele diz que eu sou covarde,disse até que eu tenho é medo, minha mãe me avisou, se tu joga capoeira, tu se cuide enquanto é cedo, galinha de um olho só,procura um puleiro cedo.Dúvida:não entendo o que o mestre quer dizer com -galinha de um olho só procura um puleiro cedo- se puder me ajudar desde já lhe agradeço.Um abraço Luciano-RS.
    lucianoecker@feevale.br

    ResponderExcluir
  5. Charles Mingus "Haitian Fight Song" no album "The Clown (Remaster)"

    ResponderExcluir
  6. Oi Luciano,
    a interpretação é simples: a galinha de um olho só, na escuridão, não enxerga tão bem quanto as outras.Daí a necessidade de ir mais cedo para o puleiro.
    Abraços,
    Moraes.

    ResponderExcluir
  7. Mestre!

    Peço sua opinião em relação a diferença entre o conceito de educação condicionado em nosso processo educacional e o conceito de educação cultuado no aprendizado da Capoeira Angola.
    Abraço
    David

    ResponderExcluir
  8. David,
    Peço desculpas pela intromissão, mas acredito que você já tenha condições sufiente para dialogar com estes conceitos...Por isso, talvez fosse uma boa você discorrer sobre a diferença, permitindo, assim, que o Mestre dê as suas pinceladas.Eu mesmo gostaria de saber o que um contramestre do GCAP pensa a respeito deste assunto.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  9. Flavio.

    Tudo bem!Estou dialogando quando pergunto ao mestre o que ele pensa sobre certos conceitos, costumo primeiro ouvir os mais velhos para depois apresentar meu ponto de vista.No aprendizado da Capoeira Angola, é costume falar pouco e ouvir mais. O que você chama de pinceladas eu chamo de fundamentos que completam nossa filosofia de vida.Pedindo licença ao mestre, em relação a dicotomia dos conceitos abordados acima, acredito num antagonismo de proporções avassaladoras, o sistema educacional educa nosso povo para uma alienação que alimenta a escravidão moderna e a Capoeira Angola, na linhagem do GCAP a qual tenho orgulho de ser reconhecido como contramestre educa para a liberdade, para uma formação filosófica de vida, aprendemos interpretar a vida baseada na experiência de nossos ancestrais e partir disso nos posicionarmos perante as suas encruzilhadas. Quando pergunto ao mestre sobre esses conceitos, peço sua opinião para a questão de que nos professores não podemos apenas sobreviver nesse sistema educacinal, dessa forma estamos coapitando com esse processo de escravidão, nós precisamos assumir nossa autonomia nesse sistema, principalmente quando estamos na sala de aula. Quando fechamos a porta da sala, somos nós e os alunos, temos que trabalhar para mudar isso, mesmo que seja a longo prazo. Digo isso, pois não quero envelhecer e olhar para o caos do sistema educaional e sentir minha consciência pesada por ter coapitado com esse processo. Quero ter a consciência que fiz alguma coisa para mudar, particularmente já me sinto assim no GCAP, mas quero contaminar o sistema educacional com nossa visão sobre educação.
    David

    ResponderExcluir
  10. Ola meu amigo, dois alunos meus estiveram no seu curso na academia do seu Mestre, o Mestre Joao Grande. Fiquei muito feliz de saber do Senhor e do sucesso do seu Trabalho. Ontem eu falei com o Mestre Joao Grande sobre um projeto que gostaria de contar com o Senhor e também com o Mestre Jogo de Dentro. Mas nao conseguir o email do Senhor para enviar a proposta. Se o Senhor puder e enteressar me envie seu email de contato.
    Com muito carinho, respeito e axé. Mestre Balu. Meu email é balucapo@hotmail.com
    Um forte abraço!

    ResponderExcluir
  11. Axé Mestre Moraes. Acabo de escutar o cd do Mestre Gerson Quadrado, e na primeira faixa do cd, teve uma coisa que me deixou pensativo, ele começa o cd com as palavras:

    "Vocês conhecem São Bento?

    Vocês não conhecem São Bento?

    Ôche! É capoeira e não conhece São Bento?.."

    E eu fiquei pensativo, sobre a ligação de São Bento com a capoeira, pois não é a primeira vez que escutei isso. Aparece também em várias musicas, ladainhas e nos nomes dos toques de berimbau. O sr. poderia decorrer sobre esse assunto.

    Axé.

    Rodrigo Chagas Campos. São Paulo - SP.

    ResponderExcluir
  12. Boa noite Mestre!Se possível gostaria de adquirir seu último CD. Moro no RS e é difícil a aquisição, gostaria de manter contato a respeito.Luciano-RS
    lucianoecker@feevale.br
    Desde já agradeço.

    ResponderExcluir
  13. olá, Mestre.
    talvez essa postagem nao esteja em um local correto. Mas estava pesquisando capoeira na internet, e achei um discurso do Gilberto Gil, sobre a capoeira, gostaria de saber, se for possivel, o que o mestre acha desse discurso.

    Discurso de Gilberto Gil na ONU

    Brasil, Paz no Mundo GENEBRA
    19 DE AGOSTO DE 2004
    "Boa noite a todos e a todas,Há exatamente um ano, morria em Bagdá um dos maiores militantes e defensores da paz mundial: Sérgio Vieira de Mello. Brasileiro. Embaixador da ONU. Cidadão do mundo. Exemplo e essência do que chamamos solidariedade, respeito, coragem e união. Com ele, morreram também outras 22 pessoas, sendo que 19 funcionários da ONU, todos em nome da paz.Essas mortes fizeram nascer um caminho a ser percorrido em escala mundial: por todos os povos, todas os países e todas as línguas.Certamente, Vieira foi porta-voz de uma aspiração universal, mas também foi testemunho vivo do espírito da nação brasileira. Uma nação plural, plurirracial e multicultural. Potência pacífica e cordial por natureza, que substitui o desejo de dominação pela vontade de inclusão e convivência.O Brasil tem hoje papel singular no mundo. Sua grandeza econômica, cultural e ecológica se concretiza como base de sustentação de um projeto pacifista.Por isso, em apoio ao Programa Mundial das Nações Unidas para o Diálogo entre as Civilizações, o governo brasileiro propõe-se a preparar uma conferência internacional sobre o Diálogo entre as Civilizações.O Brasil está determinado a implementar ações voltadas para a construção da harmonia entre os povos, fortalecendo o papel da diversidade cultural para a prevenção e mediação de conflitos, visando, assim, a construção da paz duradoura.O nosso país celebra a arte do encontro, da resistência cultural e da fraternidade. É por isso que trago hoje à ONU capoeiristas de todo o mundo para homenagear a Sérgio Vieira e seus campanheiros e companheiras. Afinal, ninguém luta só, ninguém dança só.Capoeira é atitude brasileira que reconhece uma história escrita pelo corpo, pelo ritmo e pela imensa natureza libertária do homem frente à intolerância.Luta e dança e ritmo e vigor físico. Os negros criaram a capoeira tanto para servir ao prazer quanto ao combate. Realizaram, na própria carne, essa imagem da vida, fundamental até hoje.Os afro-brasileiros souberam transformar a violência em camaradagem, envolvendo dança, ritmo, canto, toque e improvisação. A capoeira é uma afirmação existencial do povo negro no contexto do escravagismo e do racismo de dominação presentes em momentos diversos da sociedade brasileira. No jogo de gingas e na mandala da roda da capoeira está a história do povo negro na diáspora.O humanismo é a raiz da capoeira. Ela educa, ensina o respeito, dá sentido à mente e ao corpo, cria auto-estima nos seus praticantes – dá sentido à vida do seu povo. Os batuques eram a festa dos negros, oportunidades para celebrações de valores culturais trazidos pelos africanos.Mas não foi fácil para a capoeira colocar o pé no mundo, transformar-se numa arte planetária. Muitas foram as adversidades enfrentadas ao longo da história: preconceitos sociais e raciais, perseguições policiais e rejeição das elites. Os dois grandes ícones da capoeira no Brasil, mestres Bimba e Pastinha, morreram esquecidos e sem reconhecimento. Hoje alguns mestres até ganham prêmios ou títulos no exterior, mas, no Brasil, não têm nada a receber… muitos encontram-se em situação de carência absoluta.Têm sido assim as voltas dos capoeiras.

    ResponderExcluir
  14. continuando o discurso.
    Diante dos obstáculos, rodopiam e conseguem, com o gesto rápido, a arte da esquiva e a malícia do golpe não finalizado, girar a roda da vida e do destino.Sobre(viveram!). O negro se fez Capoeira e gingou do jeito que dava para gingar. Descobriu um modo de ser e com isso nos ensinou a prosseguir. Desviou-se da chibata e aprendeu a contorcer o corpo na luta. Transformou o choque das correntes no balanço dos chocalhos. Engoliu o choro com um canto mais alto. E devolveu em arte e manha o que era sangue e castigo.Os capoeiristas deram a volta por cima. Atualmente, a capoeira já é praticada em mais de 150 países.Nas Américas, no Japão, na China, em Israel, na Coréia, na Austrália, na África e em praticamente toda a Europa. A capoeira disseminou-se pelo mundo com entusiasmo. Mesmo sem falar português, um chinês, um árabe, um judeu ou um americano podem repetir o compasso da mesma música, a arte do mesmo passo e a ginga do mesmo toque.A diáspora da capoeira no mundo é uma realidade que já conta com o aval de instituições educacionais como o UNICEF, que referenda trabalhos de iniciativas dos capoeiristas brasileiros em vários países.Muitas vezes, esses capoeiras são requisitados para ações de inclusão social de crianças e adolescentes em áreas de risco social (“drops outs”), além de repatriados, vítimas das mazelas da guerra e pessoas portadoras de deficiência física.Não há mais dúvida que a capoeira é instrumento da socialização e da ressocialização em vários níveis. Ela integra diversas linguagens na sua forma de expressão: é balé, é arte circense, é dança de rua, é ginástica, é canto, é luta, é jogo, é ginga. Ela ajuda na superação dos limites do corpo e da mente; na recuperação das energias após a fadiga; na criação do espírito coletivo de camaradagem pelas artes, manhas e artimanhas do seu jogo de enigmas.Não poderia ter data mais significativa do que esta – um tributo à paz mundial – para fazermos uma reparação histórica a esta manifestação dos africanos escravizados no Brasil.Anunciamos aqui, neste palco da Organização das Nações Unidas, as base de um futuro Programa Brasileiro e Mundial da Capoeira.Agora, quem dá a “volta por cima” é o Estado brasileiro, que vem ao mundo reconhecer a capoeira como uma das mais nobres manifestações culturais.

    ResponderExcluir
  15. continuação...
    O Ministério da Cultura do governo do presidente Lula passa a reconhecer essa prática como um ícone da representatividade do Brasil perante os demais povos.Realizaremos ainda este ano uma reunião com os capoeiristas brasileiros e estrangeiros para delinearmos uma grande ação para a capoeira. Queremos ouvir e assimilar as necessidades e demandas dos diversos capoeiristas: do Brasil e do mundo.Já temos algumas propostas desenhadas. Queremos construir um calendário anual, nacional e internacional da capoeira. Criar um Centro de Referência no Pelourinho, em Salvador, que servirá não só de acervo de pesquisas, livros, adornos e imagens, mas também de espaço para atividades. A Bahia, assim, deve se afirmar como uma espécie de “Meca da Capoeira”.Entre as outras medidas previstas, está a criação de um programa a ser implementado em escolas de todo o Brasil pelo nosso Ministério da Educação – considerando, assim, a capoeira como prática cultural e artística, e não apenas tão somente como prática desportiva. Também propomos a criação de uma previdência específica para artistas e, dentro desse plano, atenção especial aos capoeiristas.Pretendemos dar apoio diplomático aos capoeiras que hoje vivem no exterior – que podem ser considerados verdadeiros embaixadores da Cultura Brasileira, assim como efetivar o reconhecimento do notório saber dos mestres. Por fim, também lançaremos editais de fomento para projetos que usem a capoeira como instrumento de cidadania e inclusão social.Esta é a primeira manifestação do Estado brasileiro em reconhecimento da autenticidade cultural da capoeira. E digo mais: a dificuldade histórica deste reconhecimento pelo Estado se explica justamente pelas origens da capoeira serem parte do contexto sócio-cultural dos negros na sociedade. A capoeira deixa entrever em cada gesto o jogo de lendas e histórias heróicas do martírio do povo negro no Brasil. Chegou o momento de potencilizar essa prática cultural milenar, vista apenas como esporte. Que possamos nós, em vez de desapropriar, valorizar essa base cultural imensurável.Que possamos aprender com a Capoeira que nos mantém íntegros e integrais nessa grande salada global de etnias. Que possamos jogar sem a mancha da submissão.

    ResponderExcluir
  16. Que possamos gingar para dar o drible no controle que tenta unificar a cultura do mundo pela imposição do único.A capoeira está entre as grandes contribuições do Brasil ao imaginário do mundo. Esta é a prova de que o mar leva… e o mar devolve: saímos dos porões amargurados dos navios negreiros e voltamos consagrados pela fraternidade da arte. Resistência da Capoeira...Vamos agora iniciar um ritual globalizante, uma reza de todas as línguas: iorubá, chinês, inglês, espanhol, francês, português, o que seja: que venham todas. Faremos, juntos, esta oração da dança e do corpo, do som e da voz.Vamos invocar nossos mestres e esses tantos mestres que escreveram a capoeira na história. Quero reverenciar alguns mestres que já se foram: Bimba, Pastinha, Aberrê e Besouro Mangagá. Chamo também os mestres Noronha, Maré, Bilusca, Rosendo, Atenilo, Samuel Querido de Deus, Waldemar, Traíra e Najé.Invoco os mestres, estes vivos: Cobrinha, João Grande, João Pequeno, Caiçara, Canjiquinha e Camisa, que hoje tem quase 40 mil alunos espalhados pelo mundo.Em nome desses mestres e de muitos outros mestres, o Ministério da Cultura do Brasil convoca todos uma roda, ou melhor, uma mandala da dança pela paz...Com vocês, os mestres e capoeiristas que plantarão hoje essa semente de amor e união. Quero chamar a este palco os velhos mestres de Angola - Moraes e Curió, vindos da Bahia. Também de lá, o mestre Duende.Vinda do interior do Maranhão, a nossa gloriosa Espoleta, que teve na capoeira o caminho para enfrentar a pobreza e hoje é exemplo que esta é, de fato, uma prática pela inclusão - o nosso querido Bracinho, portador de deficiência física, outra prova de que a capoeira é um dos grandes meios de inclusão.Agora, o filho de nosso saudoso Mestre Bimba: Luisinho, que honrou as raízes do pai e dos afro-brasileiros.E direto da Bélgica: Dendê e Abelha. Do Japão: Katana. De Israel: Sapio e Gato Branco. Da Holanda: Samara. Todos esses são provas de que a capoeira pode ser globalizada num mesmo tom...


    Iêê: é Paz no Mundo, Camará.....

    DIMAS ROCHA
    MATEMATICA UFSCAR
    (19) 8119-9049

    ResponderExcluir
  17. Que possamos gingar para dar o drible no controle que tenta unificar a cultura do mundo pela imposição do único.A capoeira está entre as grandes contribuições do Brasil ao imaginário do mundo. Esta é a prova de que o mar leva… e o mar devolve: saímos dos porões amargurados dos navios negreiros e voltamos consagrados pela fraternidade da arte. Resistência da Capoeira...Vamos agora iniciar um ritual globalizante, uma reza de todas as línguas: iorubá, chinês, inglês, espanhol, francês, português, o que seja: que venham todas. Faremos, juntos, esta oração da dança e do corpo, do som e da voz.Vamos invocar nossos mestres e esses tantos mestres que escreveram a capoeira na história. Quero reverenciar alguns mestres que já se foram: Bimba, Pastinha, Aberrê e Besouro Mangagá. Chamo também os mestres Noronha, Maré, Bilusca, Rosendo, Atenilo, Samuel Querido de Deus, Waldemar, Traíra e Najé.Invoco os mestres, estes vivos: Cobrinha, João Grande, João Pequeno, Caiçara, Canjiquinha e Camisa, que hoje tem quase 40 mil alunos espalhados pelo mundo.Em nome desses mestres e de muitos outros mestres, o Ministério da Cultura do Brasil convoca todos uma roda, ou melhor, uma mandala da dança pela paz...Com vocês, os mestres e capoeiristas que plantarão hoje essa semente de amor e união. Quero chamar a este palco os velhos mestres de Angola - Moraes e Curió, vindos da Bahia. Também de lá, o mestre Duende.Vinda do interior do Maranhão, a nossa gloriosa Espoleta, que teve na capoeira o caminho para enfrentar a pobreza e hoje é exemplo que esta é, de fato, uma prática pela inclusão - o nosso querido Bracinho, portador de deficiência física, outra prova de que a capoeira é um dos grandes meios de inclusão.Agora, o filho de nosso saudoso Mestre Bimba: Luisinho, que honrou as raízes do pai e dos afro-brasileiros.E direto da Bélgica: Dendê e Abelha. Do Japão: Katana. De Israel: Sapio e Gato Branco. Da Holanda: Samara. Todos esses são provas de que a capoeira pode ser globalizada num mesmo tom...


    Iêê: é Paz no Mundo, Camará.....

    DIMAS ROCHA
    MATEMATICA UFSCAR
    (19) 8119-9049

    ResponderExcluir
  18. Mestre no corrido jogo de dentro jogo de fora jogo bonito esse jogo é de angola esse jogo de fora seria aquele jogo mais rapido eu tenho éssa duvida por se possivél me ajude e mestre gostaria de saber quando vem pro interior de são paulo sou de sales oliveira proximo a ribeirão preto desde ja obrigado e parabéns pelo seu novo trabalho sou um grande fã abração Jean ERE jcaier@hotmail.com

    ResponderExcluir
  19. Mestre Moraes. Bom dia.

    Mestre, Indago sobre sua importante e necessária presença neste momento promovido pelo governo federal em Recife.
    Estou indicado pelo Ceara desde já vejo aponto as temáticas sobre capoeira e educação e Capoeira_Identidades_e_Diversidade. Os demais temas estão no link abaixo.

    http://www.encontrosprocapoeira.org.br/?id_area=175

    Abraços dos amigos do Atitude - Ceará
    João Walter Júnior ( Capoeira Atitude - Ceará )

    ResponderExcluir
  20. Mestre Moraes,


    Por onde o senhor anda? Acredito que todos os seus admiradores já estejam sentindo sua falta!
    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  21. Mestre Moraes,

    Meu nome é Bruna e estive em seu evento no inicio deste ano. Curso ciências sociais e devo no ano que vem realizar um tcc, que pretendo fazer sobre a capoeira angola, mas encontro-me completamente parada no projeto com diversos receios com relação a dizer alguma besteira. O problema que levantei é a "hipotese" de uma ética construida na capoeira que conduz a apreensão do que seria e como lidar com a violência que se manifestaria não apenas na roda de capoeira mas na vida do capoeirista. Olhando, para a capoeira não é dificil de se encontrar isto, mas conversando com os capoeiras o problema se esborra como que se eu fosse miope, são negaceios atrás de negaceios. Enfim, gostaria de saber do senhor, como mestre de capoeira, se este tema é relevante para nossa arte e se poderia me dar alguma luz de como desenvolver o tema.
    Seria possivel conversar com o senhor via e-mail ? Alias, mestre , capoeira seria uma arte marcial ? Ou seria uma arte-luta que não pode ser incluida neste conjunto ?

    ResponderExcluir
  22. Mestre Moraes,
    foi super bom de se ver em junho depois tantos anos na Capoeira Angola Center. Como o Senhor falou, nos alunos do Mestre Joao Grande segura uma respeito muito alto por voce e seus trabalhos em Capoeira Angola. Nao vamos esquecer seus contribuiçãoes em nossa arte nem os trabalhos que voce continue fazer. Sera bom segurar o conexão que nos temos por Capoeira Angola.
    Com carinho e respeito ... Salim
    angolacenteroakland@gmail.com

    ResponderExcluir

Ao deixar um comentário escreva seu nome e seu e-mail. Ajude-nos a fortalecer nossa rede de contatos!