18 de fev de 2010

Roda do próximo sábado, dia 20/02.

Informamos que, para a roda do dia 20 de fevereiro, o uniforme será branco.

Abraços,

Moraes.

4 comentários:

  1. Alan(gcap)

    oi.

    Solidário ao problema que os chilenos vivem nesse momemto,mas lembro que muito pouco tempo os haitianos passaram e se reconstrói de algo semelhante.O diplomata haitiano,Gerge Samuel Antonie,interprete da vondade dívina,do Deus católico,deu várias explicações justificando a catastrofé no Haiti.
    Agora,espero que os geólogos com todo seus conhecimento diplomático esclareça ao mundo como aconteceu no Chile.Porque espero que os Deuses pagãos dos chilenos,que é minoritária ,não tenha bolido com a fúria do Deus católico mais uma vez.

    ResponderExcluir
  2. Tudo depende dos olhos de quem está analisando
    a situação...

    Abaixo, comentário feito pelo Professor Joilson* após à catástrofe no Chile:

    Selvageria e Barbárie têm Cor?

    Há cerca de dois meses atrás, após o tremor sísmico que abalou o Haiti, a mídia televisiva e a imprensa escrita, divulgavam imagens e reportagens relatando a “Selvageria e Barbárie” da população haitiana que saqueavam os caminhões da ONU de ajuda humanitária, que levavam alimentos e água. Uma vez que esta população já estava há dias sem ter acesso a estes produtos de primeira necessidade. Víamos fotos estampadas nos periódicos nacionais e imagens nos programas da televisão, acompanhadas por reportagens que levava o leitor e o telespectador, a entender que aquilo se passava pelas condições de barbárie e organização de atraso tribal que se encontravam aquela população, que não por acaso era totalmente negra e afrodescendente. Hoje, após o abalo sísmico que infelizmente abalou o Chile, país este que tem o maior nível de IDH (Índice de desenvolvimento humano) e dedesenvolvimento social da América latina, vemos a mesma cena, só que comum a grande diferença. Ao invés de estar à população a saquear gêneros alimentícios, vemos através da imprensa a população a invadir lojas, para saquearem produtos eletrônicos como televisores, geladeiras, DVDs,maquinas de lavar e produtos similares, e por incrível que pareça, não vemos a imprensa a dizer, tratar-se de um “ato de barbárie e de selvageria” desta população, que é composta de descendentes indígenas,possuindo também, uma significativa população eminentemente branca e eurocêntrica. Sendo assim faz-se necessário fazermos uns importantes questionamentos:Será que a barbárie e a selvageria, só esta relacionada aos atos praticados pelos negros e descendentes africanos do Haiti?Será que saquear caminhões em busca de alimentos e água, em função da inoperância de organismos governamentais é mais primitivo e bárbaro, do que invadir e saquear lojas em busca de aparelhos eletrônicos que não teriam uma utilização imediata nestas situações? Guardo comigo um pressentimento que o preconceito e o racismo na imprensa podem estar presentes nas mínimas coisas, desde que estejamos atentos a observar a forma como ele se manifesta e se desenvolve em nosso cotidiano,Como já dizia Boris Casoy, que foi pego em uma pratica racista e discriminatória “Isto é uma vergonha”.
    *Profº. Joilson Cruz Mestre em Geografia UFBA Professor de Geografia UNEB (Campus V) e IFBA (Campus Salvador)

    ResponderExcluir
  3. oi mestre moraes o senhor esqueceu seu blog agora depois do seu evento que o senhor sempre falou no workshop que vai para de canta musicas que fala mau de negro e o senhorr e seu grupo fez todo mundo de escravo na sua escola de capoeira entao eu questiono isso com voces oque e que o senhor fala disso que o grupo gcap queria faser as pessoas de escravo com uma corrente de aluno do grupo gcap disendo que niguem pode ir no banheiro e nem beber aqua sera que fissese isso com seus alunos serria bom que sao tudo sua copia hoje que nem alunos seus nao e igual de antigamentte que hoje a maioria sao mestre e contra mestre que estao rrodando o mundo que e superr legal mais o senhor precisava tterr mais respeito com seus antigos alunos que falam so bem de voce . e as coisas como e que o senhor da titulo de mesttre para um japones e nao pelo seu filho que o contra mestre pepeu que e aluno antigo que muita gentte sabe do mundo o senhor errou e errou muitto depois de velho mestre adimiro muito o senhor mais agora o senhor perdeu muito o astral com a capoeira angola porque so quem fez hoje pela capoeira depois de mestre pastinha foi o mestre moraes mais ele errou nisso na vida da capoeira angola desculpa esta falando isso mais e a verdade com capoeirista grande abraco axe

    ResponderExcluir
  4. A base do Gcap/ Salvador é sua família, não é nepotismo. Os yens japoneses são mais importantes que os réles reais de um negro brasileiro, que por sua origem tem muito mais necessidades de encontrar sua raíz na capoeira angola, porém esse negro terá que procurar em outro terreiro, de certa forma será melhor.

    ResponderExcluir

Ao deixar um comentário escreva seu nome e seu e-mail. Ajude-nos a fortalecer nossa rede de contatos!